Cringe da cabeça aos pés – e tenho vídeo provando

Nas últimas semanas uma palavra até então quase desconhecida pela maioria tem encontrado lugar de destaque nas discussões pela internet: cringe. Do inglês, cringe pode ser interpretado como vergonhoso ou embaraçoso. Na internet, a discussão se deu por uma constatação desconcertante: os jovens, da geração Z, acham que boa parte da cultura dos adultos, millennials, é cringe.

Continue lendo “Cringe da cabeça aos pés – e tenho vídeo provando”

WebXR – Acessando aplicações de realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA) através da internet

Havia acabado de rodar o algoritmo e os primeiros resultados estavam na minha frente: as árvores de decisão estavam me apresentando quais pontos de interesse de um marcador natural eram de fato necessários para a sua identificação. Feliz, fui para o lado oposto do andar do prédio de laboratórios, onde ficava o grupo de trabalhos em RA (o meu grupo era de mídias digitais) e ouvi uma conversa entre dois pesquisadores que se perguntavam: como as pessoas teriam acesso aos aplicativos criados por eles? Aquela foi a primeira vez que me preocupei com a disponibilidade de aplicativos, em especial os quais estava estudando… Como as pessoas teriam acesso às aplicações de realidade virtual e aumentada que estávamos desenvolvendo? Baixando na loja de aplicativos, claro… mas será que esta seria a melhor solução?

Continue lendo “WebXR – Acessando aplicações de realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA) através da internet”